5 de Janeiro de 2017

Silêncio.
Nem sei quanto tempo fazia que eu não ouvia o silêncio: o externo – a ausência de ruídos como toque de celular, aplicativos e a inquietação de a cada segundo olhar a tela ( do telefone) em busca de novas notificações; o interno – aquele que faz pensar na clássica pergunta: 
qual a minha missão nesse mundo?
Embarquei nessa com a chegada do ano novo e confesso algumas coisas me preocuparam:
* Existem pessoas que acompanham o podia ser cor de rosa, mas que não são declaradas. Não sei qual a real intenção, se é buscar traçar um perfil meu por meio dos textos e descobrir quais são só frutos da imaginação e quais são baseados em fatos reais, tipo esse. 
Fiquei com um aperto no peito ao pensar nisso, em pensar na possibilidade de ser piada, mas depois relaxei. Eu que sou católica praticante tenho como símbolo máximo da minha igreja um homem sem pecado que morreu em uma cruz após ser açoitado, humilhado, cuspido, entre tantas outras atrocidades. 
Então…
Eu nasci para espalhar amor e a graça disso é espalhar, inclusive, e principalmente, para as pessoas que mais precisam e essas muitas vezes são as que menos eu quero amar. Mas amar quem nos ama é fácil, logo eu tenho mais esse desafio.
Aprendi que por mais que as coisas NÃO sejam agradáveis o tempo todo quando estamos ligados na nossa missão de vida tudo flui. 
Posso confessar a você que a minha missão sempre foi amar. E os meus maiores erros e maiores acertos foram por amor, envolviam amor, muitas vezes o amor de forma não saudável (que é a ausência de um muito importante chamado amor próprio).
A cada vez que eu faço login nessa página para escrever um novo texto não me preocupo se já aumentei o número de leitores. É óbvio que quero que a média, que atualmente é de 5 a 10 por postagem, aumente. Vou trabalhar melhor a divulgação para isso, mas sabe eu estou feliz demais com toda a evolução que esse espaço representa na minha vida.
O blog foi criado para aliviar a dor de um amor e eu sempre gostei dos “draminhas” de amor desde que eu tinha 12 anos e posso dizer que o livro “a droga do amor” do Pedro Bandeira teve uma grande influencia nisso. (é amor demais numa frase só. rs)

No dia 03 de fevereiro o podia ser cor de rosa completará 03 anos! 
Você não tem ideia da minha felicidade de ver um projeto meu contínuo. Eu sempre costumei abusar das coisas: roupas, empregos e até pessoas. Sempre largava pelo meio do caminho. Não encerrava ciclos e vê essa data se aproximar é ver minha própria evolução. Ver a evolução de uma mulher com a alma rosa de menina que apesar de tudo ama intensamente e não tem vergonha de dizer: “não sei, mas posso aprender”.
É aceitar o meu romantismo, a minha sensibilidade e a minha meiguice sem ter medo de parecer fraca, porque essas caraterísticas me tornam autêntica. É acreditar em um futuro melhor palestrando sobre o amor, para que as pessoas não tenham vergonha de amar e de amar livremente e não se sujeitando a ser o “outro”, de relações já formadas, por medo, insegurança ou carência.
O podia ser cor de rosa ganhou identidade visual no dia 19 de agosto,  uma conta no instagram em 22 de outubro e uma página no facebook em 29 de dezembro. No instagram a conta é aberta ( tive um pouco de receio disso no começo, pelo mesmo probleminha citado lá em cima, mas depois liguei aquele botãozinho… a energia que vier será transformada em amor, então não me importo mais) e no facebook a página é pública. Ainda não defini bem o conteúdo de cada rede social, mas as criei pensando em novas formas de comunicar em um futuro próximo.
Se quiser um conselho: desligue os dados móveis, o wi-fi, dedique mais tempo a vida real, a leitura, a coisas que lhe acrescentem mais do que ficar só jogando conversa fora (as mesmas de sempre). É claro que é bom, mas demais vicia e tira o sossego.
Quando você se ligar em si vai saber exatamente o tempo que deve dedicar a cada atividade para fazer sua vida render mais.
O podia ser cor de rosa começa a fase do “e quem disse que não é?”. A vida podia ter sido, mas se não foi rosa ela ainda pode ser e é! Olhe direitinho para si e descubra que a verdadeira paz e felicidade moram dentro.
compartilhe

leia também

Desejo do ano novo!
Amor para consigo mesmo
Vampirismo – os sugadores de energia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

acompanhe no instagram