20 de Julho de 2016
Confraternização de natal do ZOO ( sim temos apelidos de bichos) 2015
No dia do amigo eu quis presentear os meus com uma crônica inédita, para lembrar a eles e a mim mesma o quanto melhoramos com o tempo.
Como mudamos. Amadurecemos, mas não perdemos àquela característica meio retardada que mais nos irrita e nos faz rir.
Quantos furos e quantos encontros remarcados, que pelo que eu observo só deverão ser pagos na eternidade.
Quantas conquistas, alegrias partilhadas e quanta dor sofremos juntos. Perdas, muitas perdas, mas sempre acompanhadas de um “eu tô aqui”.
Morando perto ou longe. Em diferentes cidades e até países, vamos acompanhando a vida um do outro.
Revezamos a proximidade. Uma hora BFF (best friends forever – e ai de quem disser que é brega) de um, no outro ano do outro, mas sempre unidos, mesmo que seja pra falar mal do amigo que não tá tão unido assim.
Rimos das mancadas e dos foras que levamos – nesse caso eu fui a protagonista da maioria com as dores de cotovelo sem fim –
Meus amigos, quanto me honra a presença de cada um na minha vida e assim eu espero poder me sentir para sempre: honrada.
Ter vocês é um presente e por mais passado que tenhamos juntos, o futuro nos espera.
compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

5 comentários

acompanhe no instagram