18 de Fevereiro de 2020

O quanto você está disposto a remar? A ter trabalho para gerir a sua vida: carreira, estudos, afetividade, relações, atividade física, alimentação. Poxa! Se cuidar da trabalho. Ter a vida nas próprias mãos da MUITO trabalho. E quantas vezes você não fica igual a esse boneco? Sujo de tanto ralar, plantar, semear e cansado demais para remar e colher? Fica à deriva, esperando que o vento melhore, que a água o leve para algum lugar, que a cor do céu mude. Fica à margem de si mesmo. Fica sendo e fazendo o que os outros querem, porque é mais fácil ter a quem culpar do que se autoresponsabilizar pelas próprias ações. Escolher as sementes, plantar, ter que cuidar para que não tenha uma praga na plantação, retirar as ervas daninhas, da trabalho. Quantas vezes você não fez tudo direitinho e muitas vezes a seca estragou a plantação. Ou a chuva inundou tudo? Você perdeu e precisa fazer tudo de novo. Ter todo o trabalho. Aí, cansado, abandona e vai para o barco, fica só, cansado, isolado, não pede ajuda e quando a ajuda vem, deixa fazer de si o que quer porque é mais fácil, mas não é o melhor.
.
.
O meu desejo de hoje é que você levante e reme. Que caia do barco, que nade. Que plante e descubra o que dá sentido a sua vida. A inércia não é um ócio positivo ou criativo. A inércia é ver a vida passar e não se sentir capaz de aproveitar o presente que ela é mesmo recebendo alguns de grego!
.
.
E aí? Vamos remar juntos?

compartilhe

leia também

a felicidade deve ser merecida
Viva a alegria de suas conquistas diárias
Carta do amor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

acompanhe no instagram