2 de Fevereiro de 2018
Uma mistura que me levou a pior sensação de todas: ausência de Deus. Passar por uma doença como a depressão não é fácil. Vive-la muito pior. E geralmente ela chega como um amigo falso, consegue sua confiança, lhe envolve e lhe apunhala pelas costas. Essa pessoa sou eu. A mesma pessoa da foto de costas nuas. A mesma que dança funk até o chão e que é também consagrada a Nossa Senhora. Sim! Tudo junto e misturado nessa doce menina que nem por isso deixa de ser mulher. Eu que odiei meu ambiente de trabalho nos últimos quase três anos hoje sou grata a ele. Um dos maiores aprendizados que eu vou levar sempre comigo é o respeito às diferenças. Como Deus me amou e me ama nesse trabalho. Hoje eu sei o porquê de tanta dor. Dói encarar situações diferentes do mundo em que se vive. Aprendemos, somos ensinados, a nos dar bem com o que nos é semelhante e a excluir o que é diferente. O diferente assusta. Então fingimos que somos todos iguais, porque não somos, para vivermos melhor. Temos, ou éramos para ter direitos iguais, mas também não temos. Quem vive dentro da forma da sociedade tem mais chance de se dar bem. Percebi quanta dor o meu ambiente de trabalho me causou e o quanto eu cresci e fortaleci a minha fé em Deus. Entendendo que Deus é amor e que todos são filhos dEle. Entendendo que Ele nunca vai desamparar ninguém. Cheguei a pensar que estava enlouquecendo e com a ajuda da minha terapeuta comecei a questionar algumas verdades “absolutas”. Ela me lembrou que Deus me deu um cérebro. Sim. Eu professo a fé católica. Acredito nos sacramentos, vou a missa, adoro ao Santíssimo. Tento ser amor. O amor que Deus pediu para que tivéssemos uns pelos outros, mas eu magoo, falo mal e não sou tão boa como gostaria. E é aí que começa o grande erro. Esquecemos que Deus conhece o nosso coração, que Ele nos quer felizes e que não precisamos morrer para vê-Lo, que podemos e devemos ser felizes na terra e isso não significa que pertençamos ao demônio. Devemos nos sentir filhos e filhas amadas de Deus e por isso nós devemos saber que temos o dever de sermos felizes. Não significa que para sermos filhos de Deus devemos passar pelo calvário e sermos pregados na cruz! 
Ele nos deu a vida para sermos felizes. Ser feliz não é ser irresponsável ou inconsequente é só ser feliz. Viver e ser você. Não somos nada se comparados com Deus, mas não queremos ( pelo menos eu não quero) essa comparação. Não existe NINGUEM como Deus, mas nós somos muita coisa porque somos filhos dEle. Cheios de dons e potencialidades, falhas e imperfeições. E essa é a nossa beleza: Tentarmos manter a essência do amor em um mundo descartável. Essa é a verdadeira liberdade. Mas isso é o que eu penso. E dito isso estou sendo coerente comigo e com o que eu acredito. Acredito em um Deus de amor que me ama e sabe que eu sou imperfeita, mas busco sempre ser o melhor que eu posso a cada dia. Sejamos felizes. Respeitemos o outro do jeito que ele é.
compartilhe

leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

acompanhe no instagram